AO VIVO
Menu
Busca terça, 27 de julho de 2021
Busca
Curitiba
24ºmax
13ºmin
Correios Celular - Mobile
MEIO AMBIENTE

Deputados e senadores visitam áreas queimadas no Pantanal

Parlamentares acompanham as ações de enfrentamento aos incêndios

19 setembro 2020 - 12h15Por Martha Alves

Parlamentares visitam, neste sábado (19) e domingo (20), áreas atingidas por incêndios florestais  no Pantanal mato-grossense. Eles também vão ser reunir com entidades, bombeiros e gestores da região em busca de soluções para a grave emergência ambiental.

Uma das comitivas é formada pelo presidente da Frente Parlamentar Ambientalista, deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP; e pelos deputados Professor Israel Batista (PV-DF), Professora Rosa Neide (PT-MT), Nilto Tatto (PT-SP), Paulo Teixeira (PT-SP) e Dr. Leonardo (Solidariedade-MT). Eles fazem visitas neste sábado e no domingo.

A comissão temporária externa do Senado, criada para acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios no Pantanal, também  visita neste sábado o Mato Grosso, estado que abriga parte do bioma. A diligência foi aprovada nesta semana na primeira reunião do colegiado por sugestão do senador Wellington Fagundes (PL-MT), escolhido para a presidência. Ainda não foram confirmados os nomes dos senadores que integram a comitiva.

"Nós pretendemos, com essa visita in loco, acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios detectados no bioma Pantanal e seus desdobramentos, bem como conhecer os espaços de acolhimento dos animais afetados e conversar com as equipes que estão atuando na região para subsidiar as futuras ações no âmbito desta comissão", disse o senador Fagundes.

A partir das 14h (13h no horário local), os senadores também farão uma reunião por videoconferência, para debater a situação das queimadas, com a visita ao local, e definir ações de prevenção.

A situação na região é extremamente grave. O fogo já consumiu cerca de 2,3 milhões de hectares do Pantanal. O Partido Verde afirma que a tragédia é “o resultado lamentável do sufocamento financeiro dos órgãos e do sucateamento da política ambiental brasileira”.

*Com informações das Agências Câmara de Notícias e Senado