AO VIVO
Menu
Busca domingo, 26 de setembro de 2021
Busca
Curitiba
26ºmax
14ºmin
Coluna

A epidemia de suicídios entre transgêneros: uma tragédia silenciosa

Fonte: https://www.lifesitenews.com/news/gender-confused-suicide-rate-ten-times-national-average

21 julho 2021 - 11h14


download (2)download (1)



Cirurgias e hormônios têm se mostrado ineficazes: mesmo após inúmeras mutilações, terapias e litros de hormônios, grande parte dessas pessoas decidem acabar com a própria vida!

A epidemia de suicídios transgêneros: forçar uma pessoa a mudar seu corpo para aceitar sua condição contrária a sua biologia tem mesmo sido a grande tragédia silenciosa dos nossos dias.

No dia 18 agosto de 2015 foi publicado um  estudo que chocou a comunidade LGBTTS em todo mundo, mas que no Brasil poucos tiveram interesse em divulgar e/ou traduzir. O estudo diz que “pessoas que sofrem de ‘confusão de gênero’ são estimulados pela cultura atual para ‘serem eles mesmos’, que significa rejeitar o sexo com que nasceram e partirem para uma cirurgia reparativa”. Ou seja, transformar de forma artificial seu corpo à base de hormônios e de cirurgias que são verdadeiras mutilações.

O estudo mostrou que apesar dos esforços sociais para fazer com que o trasnsexual se aceite conforme se “sente”, conforme se “tornou” – apesar da sociedade o aceitar -, está havendo uma epidemia de depressão e suicídios ignorados pela sociedade e pelas áreas de saúde mental e militância do gênero.

Segue abaixo a tradução na íntegra do estudo feito pela Fundação Americana para a Prevenção do Suicídio e do Instituto Williams, divulgado por Fr. Mark Hodges (LifeSiteNews).

NOS ESTADOS UNIDOS, COMO EM QUALQUER PAÍS DE APOIO À IDEOLOGIA DE GÊNERO “TRANSGÊNERO”, ADOLESCENTES SÃO ENSINADOS QUE O QUE ELES “SENTEM” É QUEM ELES SÃO E QUE, PARA SER FELIZ E REALIZADO, DEVEM SE “TORNAR” O SEXO OPOSTO. QUANDO BRUCE JENNER DECIDIU SE OLHAR PUBLICAMENTE COMO UMA MULHER, ELE FOI APOIADO PELA MÍDIA DE MASSA. ATÉ MESMO O PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS, QUANDO JENNER DECIDIU FAZER A CIRURGIA DE CASTRAÇÃO, APLAUDIU-O COMO UMA HEROÍNA “CORAJOSA”.

MAS OS ESTUDOS MOSTRAM REPETIDAMENTE QUE AS PESSOAS “TRANSGÊNEROS”, QUE BUSCAM TRATAMENTO HORMONAL E CIRURGIAS PARA SE TORNAR DO SEXO OPOSTO, TORNAM SE, NA VERDADE, SEGUNDO PESQUISAS DA FUNDAÇÃO AMERICANA PARA A PREVENÇÃO DO SUICÍDIO E DO INSTITUTO WILLIAMS, PESSOAS INFELIZES E NÃO REALIZADAS. NA VERDADE, EXPLICA O ESTUDO, HÁ UMA GUERRA INTERNA ENTRE A VIDA E A MORTE, O QUE ESTÁ SE ESTABELECENDO DENTRO DESSE SUJEITO, CONTINUAMENTE, É UMA LUTA INTERIOR LEVANDO-O À DEPRESSÃO SEVERA A PONTO DE MUITOS QUEREREM ACABAR COM SUA PRÓPRIA VIDA.

ISSO É O QUE A FUNDAÇÃO AMERICANA PARA A PREVENÇÃO DO SUICÍDIO E DO INSTITUTO WILLIAMS ENCONTROU QUANDO ANALISOU OS RESULTADOS DA PESQUISA NACIONAL DE DISCRIMINAÇÃO TRANSGÊNERO. O NÚMERO DE TENTATIVAS DE SUICÍDIO É DESOLADOR, ASSUSTADOR, E NÃO DEPENDE DA ACEITAÇÃO DO OUTRO, E SIM DE SI MESMO.

MAIS DE 41% DAS PESSOAS “TRANSGÊNEROS” ATIVAS TENTAM SE MATAR. ISSO É DEZ VEZES A TAXA DE TENTATIVA DE SUICÍDIO (4,6%) DA MÉDIA.

E ESTE ESTUDO NÃO É A ÚNICA PROVA DE QUE AQUELES QUE PROCURAM VIVER COMO SE FOSSEM DO SEXO OPOSTO ESTÃO DE FATO, SE MATANDO. MAIS DE UMA DÚZIA DE OUTROS INQUÉRITOS EM TODO O MUNDO TÊM ENCONTRADO OS MESMOS ASSUSTADORAMENTE ALTAS TAXAS DE SUICÍDIO.

UMA PESQUISA NACIONAL COM MAIS DE 6.500 PESSOAS TRANS PERGUNTOU: “VOCÊ JÁ TENTOU SE SUICIDAR?”. 41% RESPONDEU: “SIM”.

OS SINTOMAS COMETIDOS POR PESSOAS QUE TENTAM MUDAR SEU GÊNERO E/OU SEXO SÃO: “NÍVEIS CRONICAMENTE ELEVADOS DE ESTRESSE”, “ANSIEDADE”, E “DEPRESSÃO” SÃO OS MAIS COMUMENTE RELATADOS ENTRE PESSOAS TRANS ATIVAS. AUTOMUTILAÇÃO POR CORTE É MUITAS VEZES RELATADO COMO ALGO QUE FAZ BEM, ALIVIA AS DORES EMOCIONAIS.

UMA HOTLINE DE SUICÍDIO DEDICADA A ELES, LIFELINE TRANS, MOVIMENTOU MAIS DE 20 MIL CHAMADAS EM SEUS PRIMEIROS NOVE MESES DE OPERAÇÃO. GRETA GUSTAVA MARTELA, UMA LÉSBICA QUE FUNDOU O SERVIÇO, RESUME: “COM 41% TENTATIVA DE SUICÍDIO, VOCÊ TEM QUE ASSUMIR QUE ALGO NÃO ESTÁ APENAS DANDO CERTO PARA AS PESSOAS TRANSEXUAIS”.

OS ESTUDOS QUESTIONAM A MÍDIA, QUE TENTA DESLOCAR AS ALTAS TAXAS DE SUICÍDIO DAS PESSOAS TRANSGENERO PARA INFLUÊNCIAS EXTERNAS, TAIS COMO COMPANHEIROS E REJEIÇÃO DOS PAIS, MAS NÃO CONSIDERAM A TRÁGICA BATALHA INTERNA, OS GRANDES CONFLITOS INTERNOS PELOS QUAIS PASSA UMA PESSOA TRANSGÊNERO, COMO O CONFLITO PSICOLÓGICO, UMA DICOTOMIA PSICOLÓGICA QUE PASSA FAZER PARTE DE SUA VIDA.

OS FATOS FALAM O CONTRÁRIO. A AGGRESSIVE FACILITY INTELLIGENCE RESEARCH DA UNIVERSIDADE DE BIRMINGHAM (ARIF) FEZ UMA REVISÃO MÉDICA QUE DESCOBRIU QUE NÃO HÁ NENHUMA EVIDÊNCIA CONCLUSIVA DE QUE OPERAÇÕES DE MUDANÇA DE SEXO MELHORE SIGNIFICATIVAMENTE A VIDA DOS TRANSEXUAIS. NA VERDADE, MUITOS TRANSEXUAIS CONTINUAM GRAVEMENTE ANGUSTIADOS E POTENCIAIS SUICIDAS APÓS A OPERAÇÃO.

Anúncio
CHRIS HYDE, DIRETOR DA ARIF, EXPLICOU: “UM GRANDE NÚMERO DE PESSOAS QUE OPTAM PELA CIRURGIA [DE MUDANÇA DE SEXO] PERMANECE TRAUMATIZADA – MUITAS VEZES AO PONTO DE COMETER SUICÍDIO”.

O ESTUDO CONDENA OS ESFORÇOS SOCIAIS E MIDIÁTICOS, QUE SIMPLESMENTE IGNORAM OS GRAVES RISCOS DA FASE POSTERIOR ÀS MUDANÇAS SEXUAIS ADAPTATIVAS E TORNAM ESSA PESSOA TRANS UM SUICIDA. QUESTIONA E CONDENA OS MOVIMENTOS MILITANTES QUE INDUZEM ATÉ MESMO CRIANÇAS EM ESCOLAS DO ENSINO FUNDAMENTAL QUE AS PESSOAS TRANSEXUAIS ESTÃO CONCRETIZANDO SEUS “VERDADEIROS” “EUS”, O SEU EU VERDADEIRO.

COMO STELLA MORABITO, DO THE FEDERALIST, ESCREVE: “OS TRANSEXUAIS NÃO TÊM PERMISSÃO PARA FALAR SOBRE O SEU ARREPENDIMENTO. NÃO ABERTAMENTE. O LOBBY TRANSGÊNERO SUPRIME A DISCUSSÃO SOBRE O ARREPENDIMENTO DA MUDANÇA DE SEXO”.

Tarde demais
ALGUNS PACIENTES TRANSEXUAIS TÊM DITO QUE ELES PERCEBERAM, TARDE DEMAIS, QUE AS OPERAÇÕES DE MUDANÇA DE SEXO NÃO FAZEM JUS À SUA PROMESSA. ALAN FINCH EXPLICA: “VOCÊ NÃO PODE MUDAR FUNDAMENTALMENTE O SEXO. A CIRURGIA NÃO ALTERA GENETICAMENTE VOCÊ. É UMA MUTILAÇÃO GENITAL […] FOI TUDO UMA TERRÍVEL DESGRAÇA […] A ANALOGIA QUE EU FAÇO SOBRE A OPÇÃO DE CIRURGIA PARA ALGUÉM DESESPERADO POR MUDAR DE SEXO É QUE SERIA UM POUCO COMO OFERECER UMA LIPOASPIRAÇÃO PARA UMA ANORÉXICA”.

O CAMPEÃO DE TÊNIS RENÉE RICHARDS, QUE PASSOU DE MACHO PARA “FÊMEA” NOS ANOS 70, ESCREVEU: “EU TERIA ME DADO MELHOR FICANDO DO JEITO QUE EU ERA […] UMA PESSOA TOTALMENTE INTACTA… EU NÃO QUERO QUE NINGUÉM TENHA-ME COMO UM EXEMPLO A SEGUIR […] EU RECEBO UM MONTE DE CARTAS DE PESSOAS QUE ESTÃO PENSANDO EM TER ESTA OPERAÇÃO, E EU DESENCORAJO A TODOS”.

Infelizmente, muitos ativistas pró teoria Queer, de desconstrução sexual, de apologia ao gênero trans, e muitos deputados que promovem através de projetos no Brasil, as cirurgias de mudança de sexo, ainda quando crianças, são irresponsáveis ou ignoram que estão levando essas pessoas em conflito direto a morte.

Como psicóloga, concordo com este estudo e peço aos profissionais de bem, que lutem em favor do direito dessa pessoa humana em conflito, não sr empurrada por militância ativista da ideologia de gênero a mutilarem seus corpos. Elas estão sendo cobaias sociais.

Meu repúdio a essa tentativa no Brasil, se normatizar a ideologia de gênero sem o minimo cuidado com a verdadeira essência do ser humano, que tem sido empurrado pela reorientação cultural, a assumir uma condição a través de uma mutilação, que deixa sequelas irreversíveis no corpo e na alma a ponto segundo estudos de levá-lo a desistir de sua vida.

Chega de manipulação a sociedade brasileira não   pode ser usada como cobaia, posso ser recriminada pela sociedade ativista de gênero, ou até mesmo pelo conselho de psicologia, mas não posso em frutar de dizer a verdade, e mostrar a minha preocupação com essa imposição de gêneros que está adoecendo nossa sociedade.